domingo, 1 de maio de 2011

Conjunto de telescópios para caçar ETs é desativado nos Estados Unidos

Um conjunto de 42 radiotelescópios usado para detectar possíveis sinais de extraterrestres foi desativado nos Estados Unidos, após cortes na verba do instituto Seti (Search for Extraterrestrial Intelligence ou "procura por inteligência extraterrestre", em tradução livre), responsável pelas operações.
Conhecido pela sigla ATA (em inglês), o grupo de antenas era garantido pela Universidade da Califórnia, em Berkeley, e operado no Observatório Hat Creek, especializado em pesquisas com emissões de rádio. O conjunto de antenas fica a 500 km de distância da cidade de São Francisco.
Cortes no orçamento do estado da Califórnia e menos dinheiro da Fundação Nacional da Ciência (NSF, na sigla em inglês), agência federal dos Estados Unidos para o desenvolvimento de pesquisas científicas, são os motivos apontados pelo Seti para a desativação do complexo.
Segundo o diretor Thomas Pierson, são necessários pelo menos US$ 5 milhões durante dois anos para garantir um programa de análise dos últimos dados da sonda Kepler, enviada ao espaço pela Nasa para captar sinais de planetas fora do Sistema Solar.
Até agora, a agência espacial norte-americana divulgou 1.235 candidatos a exoplanetas. O objetivo do Seti - entidade sem fins lucrativos fundada em 1984 para procurar por vida fora da Terra - seria o de estudar possíveis sinais vindos desses astros.
Esforços juntos à Força Aérea norte-americana estão sendo feitos para retomar as atividades do ATA, que entrou em estado de "hibernação" desde o dia 22 de abril. Agora, os radiotelescópios receberão apenas serviços de manutenção, com uma equipe reduzida. Para ajudar na captação de recursos, o site do Seti também pede por doações.


Nenhum comentário: