sábado, 23 de julho de 2011

Necromancia

A Necromancia é um termo Grego que vem das palavras "morte" (necro) e "adivinhação (mancia), vinda da Pérsia, Grécia e Roma. Era mais praticado pela Idade Média foi proibida pela Igreja Católica por ser considerada uma bruxaria, inclusive muitos Necromantes foram queimados ou enforcados.
Ela pertence à religião vodoo e é uma forma de magia negra praticada por bruxos e magos. Nos dias de hoje, apenas muitas poucas pessoas a praticam. Muitos magos dizem que a Necromancia é uma coisa maléfica e sem propósito. Para os Necromantes a morte é a benção eterna. Eles crêem que quando morrerem vão para o seu deus Elan.
O contato com Demonios e Anjos (como na Goétia) não pode ser chamado de Necromancia, isso porque essas entidades nunca estiveram vivas. Elas não são espiritos mortos, mas entidades de outras esferas, nunca nascidas.
O tabuleiro de Ouija é um dos meios de Necromancia mais famosos no mundo, o uso de pêndulos ou varas também são chamados de meios Necromanticos.
Os Necromantes apenas chamam os espíritos de pessoas mortas para descobrir o futuro. Eles acreditam que uma vez que uma pessoa morre, esta já não tem mais as limitações de um corpo terrestre e que irá ser capaz de ver o passado ou o futuro, e pegar informações que os mortais não podem.



Ritual Necromante:


Premissas necessárias.


1º. É necessário realizar escrupulosamente tudo o que se segue.

2º. Há que banir as dúvidas da mente.
3º. Não comentar com ninguém que se está fazer a operação.
4º. Guardar segredo dos seus resultados.

Advertências:


1ª Não entrar em diálogo com entidades que possam aparecer.

2ª Não realizar duas vezes uma operação bem sucedida.
3ª Não zombar com nenhum espírito que apareça, seja em sonhos ou na realidade.
4ª Não ceder às tentações que poderão ser expostas.

Primeira operação.


Preparação preliminar:


Comprar:

- 3 Candeias novas, azeite novo;
- 1 Corda, velas brancas;
- Carvão novo e muito incenso;
- Água benta recolhida na pia de uma igreja.

Guardar castidade durante toda a operação.

Tomar apenas refeições leves nos dias da operação.

Vá a um cemitério e informe-se de uma pessoa bem abastada que tenha falecido recentemente. Saiba se esta pessoa era religiosa, pois convém para o caso. Saiba o seu nome e onde viveu.

Num sábado ao final da tarde vá até à campa ou Jazigo do defunto.
Deposite lá uma pilha de sete moedas das mais valiosas do mercado.
Trace uma cruz no chão e diga:

“In nomine Jesu Christum, ego te conjuro!
(Nome da pessoa.)”
Diga isto três vezes.

“Em nome de Jesus Cristo eu te conjuro! (Nome da pessoa.)”

Coloque um cálice de vinho sobre a campa. Chame o nome do defunto sete vezes e diga:


“A ti, (nome do defunto) te chamo ao mundo dos vivos, vem pelo poder da Santa Igreja que te pode ainda salvar! Vem pelo nome de Cristo para fugires às chamas dos infernos que estão à tua espera! Vem pelo poder da Santíssima Trindade que em tudo manda!
Não sou eu que te chamo, mas o Deus que tudo criou! E é em Seu Nome que te faço vir até mim para que me escutes!”

Queime agora um pouco de incenso de Igreja.

Continue:

“Foi pelo poder do baptismo que os homens se remiram dos Infernos, anda pois receber água benta para que te livres do domínio do Tentador!”

Borrife água benta recolhida na pia de uma igreja para cima da campa.


“Agora obedece-me e verás que ficarás em paz, tu e os teus!”

Fazer esta operação nove vezes, uma na segunda, outra na quarta e outra no sábado e assim consecutivamente.


Na mesma noite da ultima chamada, entrar no cemitério pelas 23.00H e chamar nove vezes pelo nome do defunto.


“Segue-me e te darei o pão pelo qual tens fome e o vinho pelo qual tens sede. Vem pela riqueza DOS CÉUS e pela Salvação eterna!”

Ir de seguida até a um descampado ou uma praia e acender as três candeias em triângulo, uma pelo Pai, outra pelo Filho e outra pelo Espírito Santo, colocar o fogareiro no centro do triângulo. Se na noite estiver muito vento então tentar noutra noite mais calma.

Fazer um círculo com a corda e ir para o meio do círculo. Dizer:

“Eu traço este círculo e que nenhuma criatura indesejada ou força maléfica aqui possam entrar Traço o círculo em nome do Tetragrammaton.”

Traçar o círculo três vezes.

Acender bem o carvão que deverá ficar em brasa. Queimar Incenso e dizer:

“Oro a vós Anjos de Deus para que em Nome do Altíssimo permitais que as almas dos Mortos possam vir até mim. Por isso Vos Conjuro em Nome do Deus Vivo, em Nome de Adonay, Jehovah, Tetragrammaton, Elohim, Elohim Sabbaoth, Metraton, Agla, Agla, Agla, pelas Hierarquias Universais, Anjo Cassiel, altíssimo Senhor dos Mortos, para que façais com que os que já desencarnaram possam vir ter comigo.“

Orar a Deus e pedir permissão para chamar o defunto.


“Meu Deus, Força que tudo Criou, só a Ti tenho devoção. Peço-te que me permitas chamar a mim, (nome do defunto) aqui e agora e que pelo Teu Nome professado pelos Santos e Mártires, essa alma não possa faltar. Glória Te seja dada para sempre! Que assim seja! Ámen.”

Voltar a chamar o nome do defunto nove vezes e dizer:


“Aparece espírito que te tenho chamado!
É o poder de Deus que te chama, É o poder de Cristo que te Chama!
É o poder de Deus que te Chama, É o poder de Cristo que te Chama!”
É o poder de Deus que te Chama, É o poder de Cristo que te Chama!”
Vem em nome da Santíssima Trindade! Aparece-me aqui e agora, ou perecerás nas chamas dos infernos!
Teme a ira do Senhor e obedece perante a Sua Glória! Pelo poder que Deus me concedeu, vem! Vem! Vem! Faz-te presente, ou cairás nas chamas da morada dos demónios!
O poder de Cristo te obriga!
O poder de Cristo te obriga!
O poder de Cristo te obriga!”

(ter um crucifixo na mão quando se diz esta evocação e mostrá-lo na direção do triângulo que deverá estar virado para norte).

Durante esta chamada ir atirando incenso para as brasas e esperar que o defunto apareça! Esperar cerca de uma hora, não mais. Enquanto a espera conjura-se o espírito dizendo:

“Aparece pois também és filho de Deus e deves-lhe obediência! É por Ele que te chamo e pelo Seu poder te obrigo a vir. Aparece!”

O espírito será forçado a aparecer ou a enviar uma manifestação da sua presença, pois nem todas as pessoas são capazes de ver espíritos e quando isso acontecer diga:


“Bem-vindo (nome do defunto) orarei por ti para que sejas aceite na comunhão dos santos. Obedeceste ao Poder do Senhor e é por esse mesmo poder que te mando saber (o que se quer saber através do espírito). Tens nove dias para mo dizer e fá-lo-ás sem ruído e de forma explicita através de um sonho. Vai pela Vontade do Senhor e serão acesas 70 velas pela tua alma no dia dos fiéis.”

Assim que o espírito assinta diga:


“Parte agora em paz para o teu mundo e não te esqueças de cumprir a tua promessa que não me esquecerei da minha. Vai-te em Nome de Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo.”

Assim que o espírito se desvaneça espera-se um pouco e agradece-se a Deus.

O que queremos saber será revelado.
Não esquecer de cumprir a promessa de acender as 70 velas por aquele espírito no dia 2 de Novembro, o dia dos fiéis defuntos, pois caso contrário o espírito poderá ficar revoltado e atormentar a pessoa.
A pessoa que a realizar deve estar isenta de qualquer bebida e deve estar segura na sua consciência de cumprir as boas normas da consciência.
O defunto escolhido deverá ser alguém com personalidade forte e muito temente a Deus.

Ritual retirado do site
http://www.astrologosastrologia.com.pt/.

Nenhum comentário: