quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Os Mistérios do Titanic



MISTÉRIO I: A falta de lanchas de salvamento suficientes foi o argumento usado pelo novelista inglês Morgan Roberson, no seu livro “Futilidade”, como causa da morte de grande parte dos passageiros do transatlântico “Titán”, que, no romance, batia num iceberg. O navio fazia uma viagem inicial e era, na imaginação do escritor, a maior embarcação jamais construída pelo homem. O livro foi escrito catorze anos antes da partida do Titanic do porto de Southampton. Ele também fazia a sua primeira viagem – e última. O imaginário “Titán” e o verdadeiro Titanic eram aproximadamente do mesmo tamanho, transportavam o mesmo número de passageiros – três mil – e atingiam a mesma velocidade. Ambos afundaram no mesmo ponto do atlântico Norte pelo mesmo motivo.

MISTÉRIO II: A família Melkis, de Dunstable, Inglaterra, estava assistindo ao filme “Titanic” que a BBC transmitia quando, exatamente na hora do choque do navio com o iceberg, o teto da sua casa foi destroçado por um enorme bloco de gelo caído do céu.

MISTÉRIO III: O jornalista W. T. Stead publicou, em 1892, um conto prevendo o desastre do Titanic. Ele foi uma das pessoas que morreram no naufrágio.


MISTÉRIO IV: Numa noite de Abril, em 1935, o tripulante William Reeves, que estava de guarda durante uma viagem no navio Titanian entre Tyne e o Canadá, teve um pressentimento. Quando o Titanian chegou ao lugar onde 23 anos antes o Titanic tinha afundado, Reeves teve uma sensação de perigo insuportável. Sem pensar duas vezes, o marinheiro fez soar o alarme. Depois de alguns segundos, apareceu em frente à proa do navio um enorme iceberg, com o qual o Titanian não chocou por um triz. William Reeves, o tripulante sensitivo, tinha nascido no dia 14 de Abril de 1912 (o mesmo dia do naufrágio do Titanic).

MISTÉRIO V: Na ocasião em que foi construído, apontaram-no como maior navio de passageiros da época. No dia de entrar em auto-mar, um repórter fez a seguinte pergunta para o construtor: “O que o senhor tem a dizer para a imprensa concernente a segurança o seu navio?”. O homem, com um tom irônico, disse: ”Nem Deus poderá afundar meu navio”. O Titanic, o maior e mais luxuoso transatlântico do mundo, afundou matando 1.513 pessoas.



Aqui temos um trailer do filme Titanic, mostrando que na verdade ele é um filme de horror vejam:

Nenhum comentário: