terça-feira, 22 de novembro de 2011

Delphine Lalaurie: A mulher mais cruel da história






Nome completo: Marie Delphine Macarty.
Nascimento: por volta de 1775.
Local: Nova Orleans, EUA.

No ano de 1808 casou-se pela primeira vez com Don Ramon y Lopez de Angulo. Após sua morte, ela casou com o traficante de escravos Jean Blanque, que morreu em 1816, daí surgiu o gosto bizarro de maltratar escravos. Duas vezes viúva, casou-se com o médico Dr. Luís LaLaurie em 25 de junho de 1825. Graças ao seu parentesco com políticos, era prestigiada pelos ricaços da cidade.
Como socialite, madame LaLaurie promovia festas para a high society de Nova Orleans. Seus próprios convidados espalhavam boatos de que ela tratava os escravos com brutalidade, torturando-os e humilhando-os constantemente. Quando Delphine começava a punir o escravo com chicotadas, não descansava até o deixar inconsciente. Esses episódios chamaram a atenção de um juiz que interveio obrigando-a a pagar uma multa e confiscando-lhe alguns dos escravos.
Por ser parente de políticos, não tardou a recuperar seus escravos.

O Incêndio

LaLaurie ficou famosa depois de um incêndio que aconteceu na mansão em 1834. Acredita-se que foram 2 escravos que começaram o incêndio para tentar fugir da mansão.
Quando as pessoas foram lá para apagar o fogo e salvar as pessoas, LaLaurie não deu as chaves da Senzala. Dois escravos foram encontrados acorrentados pelo pescoço na cozinha, provavelmente os autores do incêndio.
Houve uma revolta das pessoas e LaLaurie fugiu... Ninguém sabe pra onde, dizem que ela foi para Paris com o marido onde viveram até o fim de suas vidas...



Quando as pessoas conseguiram abrir a Senzala, ela parecia mais o laboratório do Dr. Frankenstein.
Os escravos estavam mutilados, amputados, alguns tiveram seus sexos trocados, outros a boca costurada...
LaLaurie tinha um "apetite sádico que nunca parecia apaziguado, ela tinha infligido a um ou mais dos seus servos negros alguma forma hedionda de tortura" e afirmou que aqueles que responderam ao fogo de 1834 tinha encontrado "escravos do sexo masculino, totalmente nus, acorrentados à parede, os olhos arrancados, suas unhas arrancadas pelas raízes, outros tiveram suas articulações e pele inflamada, grandes buracos em suas nádegas, onde a carne tinha sido cortada, as orelhas penduradas por pedaços, seus lábios costurados ... Intestinos foram retirados e atados ao redor da cintura nua. Havia buracos no crânio, onde um pedaço de pau tinha sido inserido para agitar o cérebro. "
O mais bizarro foram dois escravos:um deles tinha os braços amputados e sua pele descascada num padrão circular, fazendo parecer uma lagarta humana", e outro que teve seus membros quebrados e dobrados "em ângulos estranhos, para que ele se parecesse com um caranguejo humano".

Alguns escravos foram apresentados ao público para mostrar os horrores da LaLaurie...

Ao pentear os cabelos de LaLaurie, uma garota de 8 anos, acidentalmente, deu-lhe um puxão. Ela foi chicoteada e fugiu. Quando recapturada, foi morta e enterrada debaixo de uma árvore, situada no quintal da mansão.






A mansão está de pé até hoje e antigos donos dizem que a casa é mal assombrada, podendo ouvir-se gritos femininos em francês e ver-se aparições de escravos acorrentados durante a noite. Um dos recentes proprietários da mansão foi o ator Nicolas Cage.

Nenhum comentário: