domingo, 7 de outubro de 2012

O Hormônio do Medo

O texto a seguir é transcrito diretamente a partir de documentos encontrados em um laboratório de testes alemão, abandonado por soldados norte-americanos durante o rescaldo da Segunda Guerra Mundial.
(Fita de áudio) O teste começará amanhã. A equipe não sabe o que esperar. Nossa missão é levar novas pesquisas e transformá-la em uma arma para a guerra. Recentemente foi descoberto que o cérebro libera uma substância química (previamente desconhecida) quando sente medo. Por razões óbvias, este teste pode ser extremamente perigoso. Dois indivíduos foram selecionados para o teste, e pelo que nos disseram, eles foram condenados à morte, mas serão usados como sujeitos deste experimento... Aos sujeitos é dado uma mesa com duas cadeiras, uma cama com um colchão, uma estante com livros, um caderno e caneta e uma área de banho que consiste em um vaso sanitário, uma pia e um espelho. Alimentos e água são dadas através de uma pequena abertura vedável. Não tenho mais nada a relatar neste momento.
 - Adicionado por Zaraiah
(Documento escrito) Sujeitos A e B estão recebendo o produto químico em uma dose pequena, misturado com água. Sujeito A tem bebido a água, e não mostrou mudanças visíveis no humor ou comportamento. Sujeito B recusou beber a água. Ele tem recebido vigorosamente a mesma dose da substância, mas por injeção. Ele teve uma resistência, mas foi facilmente controlado e então injetado. Pouco tempo depois, ele parecia nervoso, quase paranóico, e pulou quando ouviu ruídos repentinos. Foi dito para os Sujeitos tentarem permanecer ativos, ou dormirem, e não apenas inativos.



(Documento Escrito) Levou um tempo, mas temos desenvolvido uma versão em gás do produto químico. Se mostrado eficaz em indivíduos, isso pode se tornar uma arma valiosa. A dosagem foi aumentada ligeiramente. Nenhum dos Sujeitos estavam cientes de que o produto químico estava sendo deixado no quarto. Depois de alguns minutos, o Sujeito A parou de ler e começou a olhar ao redor da sala com cautela. Depois de aproximadamente uma hora, ele começou a ler novamente. Sujeito B imediatamente reagiu. Ele abriu o caderno pela primeira vez, e escreveu "O que está acontecendo? Pare de sussurrar para mim. Eu não quero ouvir você." em um pedaço de papel, arrancou a folha do caderno e a colocou debaixo da porta. Nenhuma resposta foi dada.
(Escrito) Nós vamos observar os efeitos a longo prazo, com baixas quantidades de gás no Sujeito A, e vamos observar os efeitos em um curto período e quantidade elevada do gás no Sujeito B. Os resultados são no mínimo chocantes. Sujeito A se tornou progressivamente mais instável. Ele parou de ler, não comia, e evitava o espelho a todo custo. De repente, ele se tornou muito agressivo, e lançou um livro pesado no espelho com uma força, surpreendente, o quebrando. A reação do sujeito B foi mais... curiosa. Ele começou a olhar para a segunda cadeira. Mas ele não estava olhando para a cadeira, ele estava olhando como se ele estivesse fazendo contato visual com alguém sentado na cadeira. Algo parece errado, mas estamos finalmente obtendo resultados. O Führer estará mais satisfeito.
 (Gravação Vocal) (A voz soa angustiada)
Nós não queremos isso! O que fizemos para merecer a vingança de Deus dessa forma?! O Sujeito B escapou de sua cela, a cadeira que ele estava olhando foi jogada do outro da sala, direto para o vidro de visualização, o quebrando, de imediato. Foram 5 centímetros de espessura, reforçada... Ele nem sequer tocou a cadeira... Ele escapou para fora do buraco feito pelo impacto (um grito muito alto) ME AJUDE!! (fez um barulho muito alto). As aberturas estão vazando o gás para o resto da instalação! A energia caiu, e ele matou todos . - Oh meu Senhor... Oh, não, não, não, não, por favor! (há um rugido alto, animalesco, e sons de luta. O resto da fita é o silêncio.)
 (Uma nota final foi encontrada. Parecia estar escrito às pressas, e quase ilegível.)
 Eles estão mortos. Todos eles. Eu o escutei nas paredes. O ouvi sussurrando para mim. Sim... Sim... Por favor, venha e me leve embora! Eu não quero mais do...
 (E a nota termina aí, o resto manchado de sangue, impossível de ler)
 Em 23 de abril de 1944, os soldados aliados encontraram um laboratório alemão abandonado, com sua única porta selada. Usando explosivos, eles vigorosamente entraram no laboratório, querendo saber o que era tão importante que os alemães tiveram que trancar de tal forma. Eles encontraram 13 corpos, dos quais 12 estavam vestidos com o mesmo jaleco, mutilados em pedaços, e em um caso, com a pessoa partida ao meio. O 13º corpo estava indescritível, com uma roupa marrom e sem cabeça. Uma investigação em maior escala foi lançada mais tarde pelos alemães para determinar o que tinha acontecido, mas foi cancelada depois de muitos soldados alemães se recusarem a voltar para o laboratório, por terem suas vidas ameaçadas. Até hoje, ninguém sabe o que aconteceu com "B", mas ele é dado como morto.

Nenhum comentário: