sábado, 26 de novembro de 2011

Espírita

Desculpem por estar postando tarde mas eu ando muito ocupado, não me chinguem pelo menos eu postei xD

Lúcia tinha acabado de se mudar, e, como qualquer garotinha de 10 anos estava triste, a garota era muito esperta, e, os psiquiatras que a menina frequentou disseram que a garota tinha idade mental de uma garota de 14 anos.


Ela gostava muito de ler e conhecia sobre quase tudo, um dia, seus pais lhe disseram:
- Lúcia, já está na hora de você escolher sua religião, sabemos que você leu tudo sobre o assunto e conhece tudo sobre cada uma delas.
No dia seguinte, Lúcia deu a resposta:
- Pai, mãe, sou espírita!
Os pais assustados responderam:


- Mas por quê?
A garota não titubeou e respondeu:
- Meu amigo me falou para seguir essa religião, vocês sabiam que ele já morreu há 30 anos e que ele mora aqui em casa?
Os pais obviamente não acreditaram na menina e ignoraram o fato, já que não acreditavam em tal coisa.
Passaram-se 2 anos, e, a filha começou a mudar muito, parecia muito mais madura, e, disse que teria que voltar para sua casa, os pais sem entender nada, disseram que ela estava ficando maluca, e não a deixaram sair de casa.
Dois dias depois, apareceu um homem com aparência velha e com a cara toda enrugada ao lado de Lúcia, na hora do jantar.
- Papai, mamãe, esse é aquele meu amigo que morreu há 30 anos de quem eu falei para vocês.


Os pais, assustados, apenas ouviram do homem:
- Ela tem de voltar para casa comigo.


E assim foi feito, em um instante Lúcia e seu amigo desapareceram e seus pais nunca mais tiveram notícias dela.
Passaram-se cinco anos, os pais da garota já haviam tido outra filha, em uma certa noite, a garota falou:
- Papai, mamãe, eu preciso morrer, minha irmã me disse que já está tudo preparado para mim.
Os pais ficaram impressionados, pois, a filha nunca soube antes que os pais tiveram outra filha, assim, depois de dois dias, a garota apareceu morta e no chão, do lado da garota, estava apenas um recado de Lúcia:
- Vocês não podem ter mais filhos, achei que tivessem entendido quando fui embora.
E então o casal nunca mais teve filhos.